SUS é obrigado a custear medicamento Cabergolina para tratamento da doença de Cushing

SUS é obrigado a custear medicamento Cabergolina para tratamento da doença de Cushing

SUS é obrigado a custear medicamento para tratamento da doença de Cushing

 

O custeamento dos medicamentos recomendados pelo médico para tratamento da doença de Cushing é de obrigação do Estado e o SUS deve fornecer ao paciente.

 

A doença de cushing é uma doença rara, caracterizada pela presença de um nódulo na hipófise (que é uma pequena glândula localizada abaixo do cérebro).

 

A Síndrome de Cushing tem cura e esta pode ser alcançada através da eliminação da causa da doença, no entanto, é necessário fazer tratamento específico como diminuir o consumo de corticóides. E a utilização de medicamentos corretos.

 

Os medicamentos incorporados à tabela do SUS, nem sempre atendem as necessidades particulares de cada um e o tratamento com o uso do medicamento CABERGOLINA, por exemplo, desde que consoante prescrição médica, pode ser uma chance de intervenção para enfrentar a patologia.

 

Segundo o advogado Elton Fernandes, advogado especialista em Direito à Saúde, experinte profissional em ações contra o SUS, a negativa de fornecimento pelo Estado/ SUS do medicamento prescrito pelo médico e tido como imprescindível à manutenção da vida do paciente fere de morte as garantias fundamentais amparadas pela Constituição Federal que é direito à vida, à saúde e consequentemente à dignidade da pessoa humana.

 

Todos indistintamente têm DIREITO de assistência à SAÚDE, e é DEVER dos entes federativos (União, Estados e Municípios) disponibilizarem medicamentos mediante políticas públicas, sociais e econômicas que visem à proteção e a recuperação do cidadão

 

Assim, não pode o Estado negar os cuidados clínicos exigidos a quem possui a doença e, se o fizer, o paciente deve procurar advogado especializado na área de saúde em ações contra Entes Federativos para buscar o Poder Judiciário.

São mais de 4.000 ações judiciais
elaboradas ao longo dos anos.
Fale com a gente