EXAME DE COLANGIOGRAFIA - Plano de Saúde deve custear exame

EXAME DE COLANGIOGRAFIA - Plano de Saúde deve custear exame

 

colangio ressonancia magnetica

Exame de Colangio não pode ser excluído da cobertura do plano de saúde, decide Justiça de São Paulo

 

Os planos e seguros de saúde tantam a todo custo reduzir a cobertura obrigatória, excluindo exames que são imprescindíveis para o diagnóstico e tratamento da doença.

 

Dentre os exames que muitas vezes não são cobertos estão os exames de COLANGIOGRAFIA ou, como outros dizem:

 

a) COLANGIO por RESSONÂNCIA MAGNÉTICA

b) Colangiopancreatografia Endoscópica Retrógrada ou

c) Colangiografia Transhepática Percutânea

 

Nenhum plano de saúde pode excluir os exames indicados ao paciente que estão associados a uma doença coberta pelo contrato. Ou seja, se a doença "Câncer", por exemplo, tem cobertura contratual, o convênio médico não pode excluir o exame que está associado a esta doença, seja porque o médico está investigando se trata-se realmente deste tipo de doença ou mesmo se o paciente já está em tratamento quanto a este tipo de doença.

 

O Tribunal de Justiça de São Paulo, por exemplo, já julgou:

 

PLANO DE SAÚDE. Paciente portador de colelitíase e esteatose hepática grau 1, associados à colecistite aguda (pedra na vesícula). Necessária a realização de um exame de imagem denominado COLANGIO RESSONANCIA MAGNÉTICA DE ABDOMEM SUPERIOR. Presença dos requisitos necessários à concessão da tutela antecipada. Recusa, a princípio, injustificada da agravante. Doença coberta pelo convênio, a quem não cabe escolher o melhor tratamento ao paciente. Rol da ANS não é taxativo. RECURSO DESPROVIDO. (2130648-78.2016.8.26.0000)

 

 

MAS O QUE FAZER SE MEU PLANO DE SAÚDE RECUSAR A COBERTURA?

 

Em havendo recusa de cobertura do exame pelo plano de saúde, com a prescrição médica em mãos o paciente poderá procurar advogado especialista em ação contra plano de saúde e exigir na Justiça que convênio autorize o tratamento.

 

Segundo Elton Fernandes, advogado especialista em ação contra plano de saúde, este tipo de ação judicial pode ser elaborado com pedido de liminar (tutela antecipada de urgência) de modo que a decisão pode ser concedida rapidamente, garantindo então de imediato o direito do paciente ao exame.

 

Não importa a data da contratação do seu plano de saúde ou se ele é individual, empresarial ou coletivo por adesão. Antes de realizar qualquer pagamento, consulte sempre um advogado especialista em Direito da Saúde.

 

O simples fato do exame não estar listado no rol da ANS não impede o custeio do exame e, mais, se o paciente já pagou o exame de forma particular ele deve ter direito ao ressarcimento integral das despesas.

 

Ficou com dúvidas? Procure sempre um advogado especialista em ação contra convênio médico e lute pelos seus direitos.

São mais de 4.000 ações judiciais
elaboradas ao longo dos anos.
Fale com a gente